sexta-feira, maio 06, 2011

Confederação Negra dos Palmares

Formação, desenvolvimento e destruição da confederação dos quilombos palmarinos

  • Foi à maior ameaça a ordem escravista conhecida pelo estado colonial brasileiro.
  • Aonde existiu escravidão no Brasil, houve formação de quilombos.
  • A mais conhecida e estudada foi Quilombo dos Pamares.
  • Chamava-se palmares por causa grande quantidade da Palma Attalea Pindoba.
  • Os quilombos sempre foram reprimidos pelos homens do mato, tropas policiais, grandes fazendeiros, porque representava a forma mais real de resistência negra à escravidão.
  • De modo geral, os escravos demoraram a procurar refúgio fora da região onde ficava a senzala.
  • Por desconhecerem a região e não terem uma rota de fuga, muitos acabaram demorando em escapar de seus cativeiros.
  • A medida que eles foram conhecendo melhor o país, começou a surgir alternativas de abandonar as senzalas e escapar para regiões longe da onde eram presos.
  • Os quilombos foram surgindo incentivado pelas grandes ou pequenas fugas. 
  • Qualquer iminência que representasse perigo, os quilombolas embrenhavam-se nos matos e abandonavam suas roças e cabanas
  • Houve quilombos que tiveram um desenvolvimento diferenciado, ao ponto de formar uma confederação
  • Por décadas palmares resistiu aos ataques e revidou duramente aos golpes das tropas coloniais.
  • No início do século XVII os colonos da capitania de Pernambuco viviam em engenhos, fazendas e povoações
  • O Brasil foi desbravado primeiramente pelo litoral. Qualquer viajante que se aventurasse adentrar a mata encontraria uma vegetação densa, de difícil acesso e ótima para se refugiar
  • Os holandeses contribuíram para que palmares deixasse de ser apenas um local de referencia para o fugitivo.
  • As invasões holandesas desorganizaram a vida da capitania e debilitaram a rigorosa disciplina que vivia os escravos
  • Em grupos ou individualmente eles embrenharam-se nas matas
  • Na fuga assaltavam as casas-grandes, queimavam canaviais, roubavam armas, abriam caminho à força, levavam o que podiam,.
  • Parte dos fugitivos se incorporou a região de Palmares
  • No início o quilombo de Palmares não se diferenciou dos demais. Caçavam, pescavam, dedicavam à agricultura.
  • Porém com o número cada vez maior, a economia quilombola tornou-se mais complexa
  • As técnicas artesanais africanas foram adaptadas às matérias primas da região
  • As palmeiras e os frutos foram utilizados para diversos fins, como material de construção, farinha alimentar, óleo de iluminação, bebida alcoólica, da mesma maneira como era feito na áfrica
  • As técnicas produtivas eram rudimentares
  • Os maiores quilombos palmarinos possuiriam cerca de mil habitantes
  • Eram cercados por paliçadas (obstáculo), fossos e armadilhas
  • As cabanas obedeciam aos padrões africanos
  • No centro da vila localizava as instalações públicas, como o conselho, mercado, forja (ferreiro), cisterna
  • As plantações localizavam-se nas proximidades das residências
  • Era abundante a população angolana
  • Praticavam uma mistura da religião africana com o catolicismo (sincretismo)
  • Era freqüente o contato entre quilombos e as povoações do litoral
  • As aldeias eram fundadas a uma distância das cidades que pudesse representar segurança e facilidade para escoar seus produtos excedentes
  • Essas trocas com as povoações favoreceu a elevação das condições de vida nos quilombos
  • A primeira grande expedição contra a região foi organizada pelo governador-geral do Brasil, dom Diogo Botelho em 1602.
  • Partiram com as tropas formadas por senhores de engenho, homens pobres livres, mamelucos (filho de índio com branco) e negros livres
  • Meses depois as tropas voltaram se vangloriando de ter acabado com o quilombo
  • Nas décadas seguintes outras bandeiras embrenharam-se nos matos a procura das povoações quilombolas
  • Em geral capturavam alguns poucos cativos
  • Com a invasão holandesa em 1630 os quilombos multiplicaram-se e acolheram grande quantidade de escravos fugitivos
  • Muitas foram às incursões atrás dos cativos, encontrando sempre quilombos abandonados, sem nunca lutar contra os negros
  • Em 1654 os holandeses abandonaram a capitania. O resultado foi plantações semi-desertas de cativos e o Palmares repleto de quilombolas
  • Enquanto houve luta entre portugueses e holandeses os quilombos encontraram relativa tranqüilidade
  • Com os holandeses partiam também o capital financeiro e a escravaria de muitos cristãos-novos, que ao descobrirem o cultivo de cana, se estabeleceram nas Antilhas e contribuíram para o fim do monopólio açucareiro do Brasil
  • Sem dinheiro os senhores de engenhos não podiam comprar mais africanos
  • Voltaram os olhos para Palmares
  • O engenho desprovido de mão de obra necessitava dos cativos, repovoado as fazendas, a economia seria restabelecida
  • Em 1654 uma nova incursão que não logrou êxito
  • Em 1672 a administração da capitania organizou uma expedição militar dividida em três colunas
  • Chegaria de três frentes e convergiria nos Palmares. Sofreram mais uma derrota. Nesta batalha um negro se destacou com significativa liderança: Zumbi.
  • Essas frentes contribuíram para que diversos quilombos se unificarem na forma de uma confederação negra
  • O poder máximo estava na mão de um chefe supremo que tinha o título de Ganga-Zumba e morava no quilombo do macaco
  • Laços familiares simbólicos faziam dos outros chefes de quilombolas parentes de Ganga-Zumba
  • Assim, Aqualtune, senhora de um quilombo seria mãe do rei, Gana-Zona seu irmão e Zumbi seu sobrinho
  • Os dados não são precisos, mas sugerem que a população palmarina tenha chegado entre seis e trinta mil pessoas.
  • As comunidades aceitavam a autoridade de um chefe e pagariam tributos. Em torno do rei seria organizada uma resistência militar quilombola
  • Decio Freitas, apoiado por uma rica documentação primária registrou mais de 40 expedições contra Palmares.
  • O crescente poderio militar brasileiro, caminhos mais transitáveis até próximo de Palmares, divergências internas fragilizaram a Confederação
  • Em 1678 as tropas coloniais assentam fortes golpes contra Palmares. Entre tantos presos estavam mulher e filhos de Ganga-Zumba
  • Meses depois Ganga-Zumba viajou a Recife e aceitou uma anistia oferecida aos negros nascidos em Palmares.
  • Aceitava não mais acolher escravos fugidos e, se necessário, combateria os cativos aquilombados.
  • Com a localização exata dos quilombos fora revelada, a Confederação distribuiu as terras entre seus parentes. Acreditava que muitos fugiriam.
  • Entretanto a maioria se negou a abandonar, ficando sob o comando de Zumbi
  • Os palmarinos sob o comando de Zumbi lançaram diversos ataques contra o litoral
  • A administração colonial chamou Domingos Jorge Velho, conhecido caçador de índios. Em sua primeira incursão sofreu uma derrota
  • Sob ordens diretas da Coroa, foi arregimentado mais de três mil homens de todo o Brasil.
  • Foi o maior esforço militar empreendido depois da expulsão dos holandeses
  • Os palmarinos optaram pela resistência. Domingos Jorge Velho era o comandante
  • A expedição partiu no verão e cercou a cidadela.
  • Com a chegada de canhões, as semanas de lutas chegaram ao fim em 1694.
  • O combate terminou em massacre. Cerca de 500 combatentes caíram em um precipício
  • Documentos atestam que os expedicionários entregaram-se em uma desenfreada degola
  • Em seguida da destruição de Palmares, as tropas colocaram fim a outros quilombos da região
  • Zumbi ferido fugiu. Mais tarde foi denunciado por um companheiro. Descoberto e morto em 20 de novembro de 1695.
  • Seu sexo fora arrancado e enfiado na boca. Também foi degolado e enviado a Recife para ser exposto publicamente.

6 comentários:

Ronaldo disse...

Muito bom seu blog amigo. Muita coisa boa para se aproveitar inclusive em sala de aula. Abraços.

Giliardland disse...

Muito interessante!

O engraçado é que o grande Zumbi, o maior herói negro do Brasil, qual morte é lembrada até hoje e que em muitos estados foi comtemplada como Dia da Consciência Negra, tinha escravos (dizem que inclusive mulheres) para trabalharem no Quilombo, e os que fugissem eram massacrados. A muitos isso pode ofender, mas é o que tenho lido em vários livros de estudos.
Outros estudos ainda dizem que a maioria dos escravos (como as ex-escravas mineiras citadas em vários livros) ao conseguirem economizar dinheiro, uma de suas grandes prioridades era adquirir escravos!

Um grande abraço meu amigo, parabéns pelo blog!


Brasil il il!

Giliardland disse...

Contemplada*

Giliardland disse...

Contemplada*

Giliardland disse...

Contemplada*

Pimentel disse...

Na verdade amigo Giliard, o que falam sobre Zumbi, de modo geral mal, são sempre sem apresentar nenhuma prova concreta, pura ilações.