terça-feira, outubro 28, 2008

TEXTO 3 - História do Paraná: os tropeiros

Tropeiros

No século XVII, descobriu-se na região do Paraná uma área aurífera, anterior ao descobrimento das Minas Gerais, que provocou o povoamento tanto no litoral quanto no interior. Três cidades surgiram no litoral em virtude dos garinpos: Morretes, Paranaguá e Antonina. Com a crise do ouro no Paraná e a descoberta das Minas Gerais, muitos abandonaram a mineração rumo ao centro do país. Boa parte dos habitantes que ficarm acabaram fixando residência na região, desenvolvendo atividades pecuárias nos Campos Gerais e de Curitiba.

Com a ampliação das minas de ouro, atingindo Goiás e Mato Grosso, a oferta de gado não conseguia atender a demanda. Na região que vai de Laguna a Colônia do Sacramento existia muito gado, principalmente nas Vacaria do Mar e Vacaria dos Pinhais. Eram animais que se criaram soltos aos milhões. Muitos fazendeiros viraram criadores de gado na Capitania de São Pedro do Rio Grande do Sul (atual Rio Grande do Sul).

Para abastecer as fazendas de gado e mula era necessário buscá-los na Capitania de São Pedro do Rio Grande do Sul. O primeiro caminho percorrido pelos tropeiros era por picada e logo depois virou estrada. Partia de Viamão, no atual Rio Grande do Sul, passando pelos Campos Gerais no Paraná até chegar a Sorocaba, importante feira comercial em São Paulo.
O chamado Caminho das Tropas ou Estrada das Tropas foi uma antiga via terrestre de acesso ao Rio Grande do Sul, à época do Brasil Colônia.

Acampamento noturno de Itararé. Aquarela de Jean B. Debret, 1827 (publicada em 1839 no livro Voyage potoresque et historique au Brésil). MEA 99. Col. Museu Castro Maya, Rio de Janeiro.

Durante o caminho de viagem, os tropeiros paravam em pousadas para descansar. Muitas destas pousadas acabaram se transformando em cidades, como Ponta Grossa, Lapa, Castro. Essas trilhas eram chamadas genericamente de Caminho das Tropas, e compunham-se por três vias principais: Caminho do Viamão, também designado como "Estrada Real", a mais utilizada, partia de Viamão, atravessava os campos de Vacaria, Lages, Curitibanos, Lapa, Ponta Grossa, Castro, alcançando Sorocaba.
Cidades que surgiram com o tropeirismo

Para facilitar o comércio de mulas, decidiu-se ligar Guarapuava e Palmas as missões no Rio Grande do Sul, em 1816 por Atanagildo Pinto Martins, através do Caminho das Missões, que partia dos campos de São Borja, seguia por Santo Ângelo, Palmeira das Missões, Rodeio, Chapecó, Xanxerê, Palmas, onde se bifurcava por União da Vitória e Palmeira, e por Guarapuava, Imbituva e Ponta Grossa. Por fim o Caminho da Vacaria, que interligava Cruz Alta a Vacaria no Caminho do Viamão, passando por Passo Fundo e Lagoa Vermelha.

3 comentários:

Anônimo disse...

muito aprofundado para a prova

Anônimo disse...

Trabalho de tropeirismo no paraná
Vale 10 pontos e sao 30 linhas.

Anônimo disse...

Q LEGAL